O que está em alta

quarta-feira, 1 de março de 2017

Osteofitose


Calcificação nas cartilagens que envolvem as vértebras e os ligamentos.

Enfermidade mais conhecida como “bico de papagaio”; consistem em pequenas expansões ósseas em forma de gancho que surge ao redor do disco fazendo com que as vértebras fiquem mais próximas uma da outra comprimindo a raiz nervosa.


Esta enfermidade costuma ter maior incidência na região lombar, embora possa atingir outras áreas da coluna.
Pessoas que durante a vida não adotaram boa postura corporal, não praticaram atividades físicas e passaram por períodos intensos de estresse apresentam maiores chances de desenvolver esta enfermidade.


A principal causa do aparecimento desta anomalia óssea é a permanência em posturas incorretas ao longo da vida, resultando em lesões nas articulações vertebrais.

Consequência do envelhecimento e da degeneração óssea; mais comuns em pessoas com mais de 50 anos; traumas na coluna sofridos anteriormente e doenças reumáticas também podem estar associados ao aparecimento da lesão.
Porém, não é apenas a idade que pode ser um fator desencadeante da doença.

Fatores:
-  hereditário
-  postura inadequada
-  sedentarismo
-  obesidade
-  permanecer por muito tempo sentado ou em pé sem pausa.
-  movimentos repetidos de curvar a coluna (com:  flexão, extensão ou rotação) 
-  consequência de impactos sofridos desde a infância.
-  falta de atividade física
-  Inflamação, fratura, ruptura de ligamentos, entre outros

Principais sintomas:
Dores fortes, limitação dos movimentos, perda da força muscular, perda da sensibilidade e dos reflexos.
E em algumas situações o formigamento pode ser outro sinal da doença.

Tratamento:
Alternativo: corretivo / prevenção:
Reverter a situação da melhor forma possível.
Manter a postura correta, praticar exercícios físicos (natação, hidroginástica, bicicleta e musculação)
Manter o peso ideal a sua altura
* Medidas como terapias alternativas (massagem, fisioterapia e acupuntura). São recursos benéficos para controle da doença.

Cirúrgico:
Intervenção cirúrgica só será indicada se houver indícios quando o paciente apresentar danos neurológicos e quando a coluna apresentar sinais de desalinhamento progressivo com dor intensa. 

Importante
* O médico poderá avaliar a gravidade da situação, a predisposição genética e demais fatores de risco e indicar o melhor tratamento.
* Siga corretamente as recomendações do médico.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário